Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Consultório de Moda

Neste consultório encontra informação e aconselhamento sobre moda, imagem e beleza pela estilista e consultora de moda Olga Cardoso Pinto. Temas sobre tendências, novidades e dicas para estar sempre atualizada!

  • NESTE CONSULTÓRIO ENCONTRA INFORMAÇÃO E ACONSELHAMENTO SOBRE MODA, IMAGEM E BELEZA. TEMAS SOBRE TENDÊNCIAS, NOVIDADES E DICAS PARA ESTAR SEMPRE ATUALIZADA!
  • A História da Maquilhagem

     

    Tudo começou no Egipto ....

    É no antigo Egipto que vamos encontrar os primeiros testemunhos do uso de cosméticos.

     

    Os faraós através das perucas coloridas, demonstravam distinção social e consideravam a maquilhagem dos olhos, o ponto de destaque fundamental para evitar olhar diretamente para Rá, o deus -sol.

     

     

    As misturas de metais pesados davam o tom esverdeado para impregnar e proteger as pálpebras dos nobres. É também com a civilização egípcia que surge a distinção: "Mulher de pele clara" e "Homem de pele escura", amplamente representada em artefactos e pinturas.

     

    Cleópatra bem representou o ideal de beleza daqueles tempos. Carismática e poderosa, a Cleópatra imortalizou o seu tratamento de beleza, banhando-se em leite, cobrindo as faces com argila e maquilhando os olhos com pó de khol.

     

     

     

    Pele clara, obsessão universal

     

    Dizia-se que Popéia tinha a pele muito branca, graças ao resultado de constantes banhos em leite de jumenta. Ela lançou a moda e todas as romanas abastadas usavam máscaras noturnas, onde ingredientes como farinha de favas e miolo de pão se combinavam ao leite de jumenta diluído para formar papas de beleza. Mas a verdade é que a bela complementava os seus tratamento de clareamento da pele maquilhando as veias dos seios e testa com tintura azul. Esta aparência translúcida foi imitada em misturas de giz, pasta de vinagre e claras de ovos durante muitas décadas.

     

     

    Conta a lenda que Psyché foi buscar ao inferno o segredo da pele branca da deusa Venus, trazendo a cerusa, ou alvaiade, para compor as suas fórmulas mágicas. Até na Renascença italiana, esse mesmo alvaiade era usado durante o dia pelas lindas mulheres nobres, que à noite cobriam as faces com emplastros de vitelo crú molhado em leite afim de minimizar os efeitos nocivos causados pelo alvaiade. O Kama Sutra, escrito entre os séculos I e IV, define a mulher ideal como Padmini, aquela que tem "...a pele fina, macia e clara como o lótus amarelo..." No Japão, do século IX ao XII, período de Heian, a valorização da pele branca era regra geral. Para obter a aparência extremamente clara as mulheres aplicavam um pó espesso e argiloso feito de farinha de arroz, chamado oshiroi. Depois passaram também à usar o beni, pasta feita do extrato de açafrão, para colorir as maçãs do rosto.

     

     

    Aproximadamente em 150AC, o físico Galeno criou o primeiro creme facial do mundo, adicionando água à cera de abelha e óleo de oliva. Mais tarde o óleo de amêndoas substituiu o azeite e a incorporação de bórax contribuiu para a formação da emulsão, minimizando o tempo de processo. Estava aí a primeira base para sustentar os pigmentos de dióxido de titânio e facilitar a aplicação na face; nascia a base cremosa facial.

     

     

     

    Para conhecer mais temas interessantes, visite Fashioniser

     

     

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    1 comentário

    Comentar post

    Copyright . Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da autora deste blog.