Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Moda

Neste consultório encontra informação e aconselhamento sobre moda, imagem e beleza pela estilista e consultora de moda Olga Cardoso Pinto. Temas sobre tendências, novidades e dicas para estar sempre atualizada!

  • NESTE CONSULTÓRIO ENCONTRA INFORMAÇÃO E ACONSELHAMENTO SOBRE MODA, IMAGEM E BELEZA. TEMAS SOBRE TENDÊNCIAS, NOVIDADES E DICAS PARA ESTAR SEMPRE ATUALIZADA!
  • Moda Lisboa Estoril - Outono - Inverno 2010

    aforest-design, Lara Torres, White Tent, Ricardo Preto, Ricardo Dourado, Nuno Baltazar e Luís Buchinho apresentaram 14/03 as suas colecções para o Inverno de 2010.


    aforest-design conjugou funcionalidade, quotidiano e tradição numa pequena colecção resultante da apropriação de diferentes peças, da sua reinvenção e fusão. Pela passerelle desfilaram peças de linhas descontraídas em malhas tricotadas, fazendas e fios de lã, ilustradas em jogos de neutros. As malhas, desenvolvidas com a Universidade da Beira Interior, são baseadas em peças que fazem parte do nosso quotidiano e da nossa cultura e que foram transformadas, como por exemplo um casaco de malha que foi feito a partir de um capote alentejano.


     Lara Torres apresentou “Anatomia do Vestuário”, dando continuidade ao seu projecto de desenvolvimento de peças de vestuário de carácter escultórico. A designer trabalhou o vestuário como uma segunda pele, uma escultura habitável, um espaço limiar “caracterizado pela capacidade de prolongar e traduzir o interior no exterior”. Pela passerelle desfilaram várias “esculturas vestíveis” feitas em látex, lã, algodão, papel, cartão e pele, nas quais se destacaram superfícies tácteis e pormenores tridimensionais.

     


    As armaduras medievais foram o ponto de partida da colecção da dupla White Tent. Pedro Noronha Feio e Evgenia Tabakova analisaram as texturas dessas armaduras e traduziram alguns dos seus elementos nas suas propostas para o Inverno 2010, de uma forma muito depurada. As cores – preto, cinzento, bege e prateado – remeteram também para as peças metálicas que protegiam os antigos cavaleiros em combate, assim como os materiais metalizados, cuja severidade foi compensada com a conjugação com tecidos mais suaves como a lã, o algodão e a pele.
    Inspirado nos anos 40, no mundo actual e na célebre frase de Moliére - “A grande ambição das mulheres é inspirar o amor”, Ricardo Preto apresentou uma colecção feminina de silhuetas discretas e esguias, e simultaneamente sóbrias e austeras. A colecção de homem acompanhou a mesma inspiração, salientando a masculinidade dos seus protagonistas. Igual sobriedade e austeridade nos cortes, tecidos e cores. Fazendas de lã e caxemira e malhas misturaram-se com materiais mais leves como sedas e tecidos impermeáveis. Cores sóbrias como azul, castanho, preto, branco e bege contrastaram com tons vivos de amarelo e vermelho.


    Ricardo Dourado recuou mais uma dezena de anos e inspirou-se nos anos 30, uma década em que o vestuário conheceu uma fase de enorme criatividade e sofisticação. Partindo dessa base histórica, Ricardo Dourado desenvolveu três silhuetas distintas, que variaram entre estruturas mais justas em materiais sofisticados, grandes construções oversize com aplicações de rendas e peças destruturadas, longas e fluidas, que resultaram em looks muito sofisticados e femininos.


    Nuno Baltazar apresentou “La Bohéme”, uma colecção baseada na vida da marquesa de Jáceme Correia, Margarida Victória, que, segundo o designer, reflecte “o constante laboratório das mais ímpares experiências humanas”, através do contraste de estruturas, silhuetas, texturas e cores. Silhuetas austeras com detalhes românticos contrastaram com looks sofisticados e volumes extravagantes em crepes de lã e seda, cambraias metálicas, cetim duchesse e dupion de seda, com pontuais sobreposições de tule. Resultaram imagens fortes e muito femininas, que foram acentuadas pelas cores: preto, chumbo, café, azul-cobalto, púrpura e amarelo.


    O terceiro dia da ModaLisboa | Estoril terminou com a apresentação em simultâneo das colecções Luís Buchinho e Jotex by Luís Buchinho, duas linhas distintas unidas pelo mesmo tema – Gelo. Luís Buchinho inspirou-se nas paisagens nórdicas no Inverno e desenvolveu formas de inspiração montanhosa, traduzidas em ombros exagerados e redondos, silhuetas ovais e calças cortadas em “soleil”, assim como formas de inspiração geométrica, representando estalactites e estalagmites em moldes e plissados recortados em placas angulosas. A colecção Luís Buchinho revelou um trabalho mais a nível formal, com modelagens e decorações mais complexas e formas geométricas mais evidentes, enquanto a Jotex by Luis Buchinho, por ser toda tricotada, resultou em formas mais simples e casuais, tirando partido dos diferentes jogos gráficos, jacquards e estruturas conseguidos pelo seu método de construção.


    Katty Xiomara, Pedro Mourão, Pedro Pedro, Nuno Gama, Filipe Faísca e a marca espanhola Custo Barcelona apresentaram 15/03.


     

    in Moda Lisboa Estoril

    12 / 13 / 14 / 15 MARÇO 2009
    CIDADELA DE CASCAIS
    INVERNO / WINTER 2010

    Apresentação Oficial das Colecções dos Criadores Portugueses.

    Uma iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Cascais, do Turismo do Estoril e da Associação ModaLisboa.

     

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    Copyright . Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da autora deste blog.